Sobre a audição

Afinal, como funciona a audição humana?

como funciona a audição

Quando falamos dos cinco sentidos, muitas pessoas consideram a audição um dos principais deles. Por isso, é fundamental saber como é o funcionamento da audição, a fim de prevenir a perda auditiva e preservar esse órgão que é de suma importância em nosso dia a dia.

Todos os sentidos são importantes, pois eles se complementam, porém, neste artigo, você descobrirá detalhes sobre alguns cuidados que precisa ter para garantir o bom funcionamento de sua audição.

Em essência, nossos ouvidos funcionam para alterar o estímulo acústico que entra e se move através de nossos canais auditivos, em uma forma de código neural que nosso cérebro pode decifrar, processar e compreender.

Mas como o ouvido é uma região cheia de detalhes, primeiramente explicaremos como nosso sentido funciona. Vamos lá?

Como é o funcionamento da audição?

A audição humana está totalmente desenvolvida ao nascer e responde tanto a sons muito fracos quanto a sons muito altos. Mesmo antes do nascimento, vale dizer, os bebês respondem ao som!

O processo de ouvir depende de uma série de eventos que transformam as ondas sonoras no ar em sinais elétricos. Tem início na captação dos sons pela orelha, depois prosseguem pelo canal auditivo até a membrana chamada tímpano.

O tímpano vibra e movimenta outras regiões, como os ossículos chamados martelo, bigorna e, depois, estribo. Nesse último ossinho é que vai acontecer a amplificação dos sons e a posterior comunicação ao líquido coclear.

O processo é um tanto longo, mas tem o objetivo de fazer com que as vibrações cheguem às células sensoriais. A partir de seu estímulo, essa área forma os impulsos nervosos que seguem até o córtex cerebral (que é o centro da audição).

Finalmente, quando o som vai ao cérebro, a pessoa pode identificar seu significado, entendendo que pode ser de chuva, de algo caindo no chão ou ainda a voz de alguém conhecido. Muito interessante, não é mesmo?

Como varia nossa capacidade auditiva?

O ser humano ouve uma frequência que varia, em geral, de 20 a 20 mil Hz. Em comparação com os animais, o cão, por exemplo, tem uma audição muito superior: a envergadura de sua audição chega até 40 mil Hz (ultrassons). Os gatos vão ainda mais longe, com 65 mil Hz, e os morcegos ouvem entre mil e 120 mil Hz. Por isso, conseguem ouvir a uma distância maior do que os seres humanos.

Enquanto os elefantes conseguem ouvir sons gravíssimos, de baixa frequência (12 a 13 Hz), alguns golfinhos têm sensibilidade a ultrassons de frequência maior do que 120 mil Hz. Essa grande variação auditiva nos animais têm a ver com as necessidades de cada espécie em relação ao habitat, para conseguir maior proteção, habilidades de caça e esquadrinhamento espacial.

Muito interessante, não é mesmo?

Como está subdividido o aparelho auditivo humano?

O ouvido humano é dividido em três grandes partes. Compreender seu funcionamento de forma completa envolve entender o papel de cada uma dessas regiões. Veja bem nos próximos tópicos.

Ouvido externo

O canal auditivo e o pavilhão auricular (ou orelha) fazem parte do ouvido externo. Suas principais funções envolvem recolher e encaminhar as ondas sonoras para o tímpano (para que aconteça o processo que você acabou de ler acima).

É nesse espaço que a cera também é produzida, mas ela não tem nada de anti-higiênica. Sua função é manter o espaço úmido e limpo para que consiga evitar a entrada de microrganismos.

As ondas sonoras, então, viajam em direção a uma membrana oval flexível na extremidade do canal auditivo, chamada de tímpano ou membrana timpânica. As ondas sonoras fazem o tímpano vibrar.

Ouvido médio

Essa região é também conhecida como caixa timpânica e funciona como uma cavidade com ar por detrás do tímpano. A energia das ondas é transmitida do ouvido externo até a cóclea (que já faz parte do ouvido interno). A transmissão atinge um conjunto dos menores ossos do corpo — martelo, bigorna e estribo.

O ouvido médio ainda conta com um canal conhecido como trompa de Eustáquio, responsável por estabelecer o contato com a rinofaringe. Essa é a forma de manter uma pressão constante na região, já que essa trompa se abre e se fecha de forma constante.

O minúsculo estribo se fixa à janela oval que conecta o ouvido médio ao ouvido interno. A trompa de Eustáquio, que se abre no ouvido médio, é responsável por equalizar a pressão entre o ar fora do ouvido e dentro do ouvido médio.

Ouvido interno

O ouvido interno (ou labirinto) é a parte mais importante do ouvido periférico. Ele é formado pela cóclea, um pavilhão com formato de caracol, que é o principal responsável pela capacidade de entender e diferenciar os sons.

Os sons recebidos aqui são encaminhados para o cérebro por meio do nervo auditivo. É lá que são decodificados e interpretados. Dito isso, depois de entender um pouco melhor sobre o funcionamento do ouvido humano, é bem provável que tenha se surpreendido com a perfeição da natureza.

O movimento do fluido no ouvido interno ou cóclea provoca alterações em estruturas minúsculas chamadas células ciliadas. Esse movimento das células ciliadas envia sinais elétricos do ouvido interno até o nervo auditivo (também conhecido como nervo auditivo) até o cérebro.

Vale lembrar que tudo isso acontece em frações de milésimos de segundos, ou seja, enquanto você ainda está ouvindo, o seu cérebro já está decodificando tudo de forma praticamente instantânea.

Fascinante, não? Por isso, nunca introduza cotonetes e objetos cortantes ou pontiagudos dentro do canal auditivo. Evite exposição por um longo período em ambientes barulhentos. Preserve esse sentido tão sensível e essencial para nosso cotidiano.

Como ocorre a perda de audição e qual sua relação com a idade?

Quando sua audição está funcionando como deveria, os sinais e as informações são processados ​​por várias partes do ouvido e sobem pelo nervo auditivo até o cérebro.

Se você está tendo problemas de audição, determinar qual parte do aparelho auditivo não está respondendo é o primeiro passo para melhorar sua saúde e qualidade de vida.

Pode ser difícil distinguir a perda auditiva por conta da idade da perda auditiva que pode ocorrer por outros motivos, como a exposição prolongada ao ruído.

A presbiacusia ou perda auditiva que se relaciona à idade acontece de forma gradual na maioria das pessoas, com o passar dos anos. Trata-se de uma das condições mais corriqueiras que afetam idosos.

É um grande aborrecimento, porque os idosos perdem a compreensão e nem sempre acompanham bem os conselhos do médico, podem ter dificuldades para responder a avisos e ouvir telefones, campainhas e alarmes de incêndio.

A perda auditiva poro conta da idade ocorre mais frequentemente em ambas as orelhas, afetando-as igualmente. Visto que a perda é gradativa, se você tiver perda auditiva relacionada à idade, pode não perceber que perdeu parte de sua capacidade de ouvir.

Como prevenir a perda de audição pela idade?

No momento, os cientistas não sabem como prevenir a perda auditiva relacionada à idade. No entanto, você pode se proteger da perda auditiva provocada por ruído resguardando seus ouvidos de sons muito altos e que durem muito tempo.

É importante estar ciente das fontes potenciais de ruídos prejudiciais, como música alta, motos, cortadores de grama, entre outros.

Existem muitas causas para a perda auditiva pela idade. Mais comumente, surge de alterações no ouvido interno à medida que envelhecemos, mas também pode resultar de alterações no ouvido médio ou de alterações complexas ao longo das vias nervosas do ouvido ao cérebro.

As condições que são mais corriqueiras em idosos, como diabetes e hipertensão, podem colaborar para a diminuição do sentido. As substâncias medicamentosas que sejam danosas às células sensoriais dos ouvidos (alguns quimioterápicos, por exemplo) podem também acentuar o problema.

Como um suporte tecnológico poderia ajudar?

Interessante também é o suporte tecnológico disponível no mercado, hoje temos tecnologias podem ajudar você a ouvir novamente os sons da vida, seja com aparelhos auditivos ou implante coclear, garantindo um mundo sem limitações independentemente da idade.

Além disso, por meio de um teste online gratuito você pode avaliar o nível de sua audição.

Ficou curioso? Então, faça essa experiência agora mesmo! No entanto, vale ressaltar que, em caso de suspeita de problemas na sua audição, o ideal é procurar um especialista em saúde auditiva.

Agora que você já sabe como funciona esse sentido tão importante, siga a gente no Facebook e em nosso Twitter!

Você pode gostar
fones de ouvido
Fones de ouvido e surdez: entenda porque eles estão relacionados!
Deficiência auditiva
Deficiência auditiva: veja as regras da isenção nos impostos de carro!
5 Comentários
  • Raimunda jun 2,2019 at 2019-06-02T20:28:11+00:000000001130201906

    Matéria ótima, me proporcionou a conhecer um pouco sobre a função da orelha.

    • Audium jun 21,2019 at 2019-06-21T10:59:42+00:000000004230201906

      Que bom Raimundo. Obrigado por compartilhar. Qualquer ajuda / que precisarem, estamos inteiramente a sua disposição! 😉 –> Você também pode agendar sua demonstração gratuita para sentir a diferença com o uso dos aparelhos pelo link: http://www.audiumbrasil.com.br/agende

  • Ivanil set 26,2018 at 2018-09-26T18:51:49+00:000000004930201809

    Muito boa matéria. Obrigado por compartilhar

  • ANTONIO CARLOS nov 6,2017 at 2017-11-06T06:35:21+00:000000002130201711

    Que bom saber dessas coisas pena que foi um pouco tarde pois já fazem 6 anos que estou usando aparelho auditivo mais gostei de saber

    • Audium nov 6,2017 at 2017-11-06T15:14:21+00:000000002130201711

      Olá Antonio! Tudo bem? Conhecimento é sempre bom, independente do tempo! Tudo bem com seus aparelhos? Se precisar de ajuda, estamos a disposição – 0800 011 1000

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This