Dicas

5 dicas para melhorar a qualidade de vida dos pais idosos

Com o passar do tempo, nossa realidade se inverte: em vez de recebermos os cuidados dos nossos pais, começamos a cuidar deles. Essa não é uma etapa fácil, portanto exige muita atenção e dedicação. O cenário é de mudança, mas se adaptar a ela pode não ser tão difícil quanto parece.

Afinal, estamos apenas retribuindo o carinho recebido durante toda a vida. Para ajudar nessa jornada transformadora, listamos 7 dicas capazes de melhorar a qualidade de vida do idoso e proporcionar momentos mais tranquilos aos seus pais. Confira!

Descubra a importância de se preocupar com a qualidade de vida do idoso

Com o aumento da expectativa de vida das pessoas, é cada vez mais importante se preocupar com a qualidade de vida do idoso. Foi-se o tempo em que envelhecer era sinal de doenças. Hoje em dia, o objetivo de muitos é chegar à terceira idade praticando esportes, trabalhando e saindo com os amigos.

Além de viver muito, é necessário viver bem. Assim, se você tem pessoas idosas em casa ou é um cuidador, deve saber da importância de estimular a prática de atividades físicas, o convívio social e a produtividade. Quanto mais autonomia e atividades eles tiverem, mais vivos e ativos se sentirão.

Veja como proceder para garantir qualidade de vida aos idosos

Alguns cuidados tornam possível manter o bem-estar do corpo e da mente do idoso por muitos anos à frente. Quer saber como fazer isso? Basta continuar a leitura e acompanhar as 7 dicas que separamos para você.

1. Crie uma rede de apoio

Trazer os filhos para mais perto do convívio familiar é um dos principais fatores que garantem a qualidade de vida do idoso. Logo, não é certo que a responsabilidade pelos cuidados recaia sobre um único filho: é preciso que o envolvimento seja estimulado e todos se informem sobre o que acontece com o idoso.

Em alguns casos, pedir ajuda se faz necessário — o que fica mais fácil quando existe uma rede de apoio, pois é essencial saber com quem contar em cada tipo de situação. A rede de apoio também pode englobar pessoas próximas da família, médicos, profissionais cuidadores, vizinhos e amigos que estejam aptos a assumirem o compromisso.

O importante é fazer com que os cuidados sejam rotativos entre todos os envolvidos e garantir que o idoso perceba o quanto é acolhido e amado. Deixar que apenas um responsável fique emocional e fisicamente sobrecarregado faz com que a pessoa que está sendo cuidada se sinta um peso para a família.

2. Seja mais paciente

Independentemente do estado de saúde do idoso, a paciência durante os cuidados prestados é de suma importância. Lembre-se de que ele quer e necessita ser ouvido, ao passo que as explicações dadas precisam ser adequadas para o seu entendimento. Desse modo, o idoso não deve saber de informações que causem desconforto ou estresse. Portanto, as palavras precisam ser bem escolhidas para falar com ele.

Por vezes, ele não compreenderá os acontecimentos atuais, seja por ter vivido em outra época, seja por apresentar algum tipo de problema relacionado à surdez ou à cognição. Com isso, é necessário evitar discussões acaloradas, ainda que você tenha um pensamento divergente do dele.

3. Mantenha sua moradia como referência

O ideal é que o idoso permaneça vivendo em sua própria residência, como de costume. Caso algumas adaptações sejam necessárias, estude uma reforma rápida e segura para todos. Seu lar é o local em que ele passou boa parte da vida, portanto fornece referências positivas e afetivas como uma dose a mais de tranquilidade.

Isso é ainda mais importante se ele apresentar alguma doença cognitiva ou degenerativa, o que torna essencial manter seus referenciais e viver em um lugar que transmita segurança. Assim, não é interessante fazer com que o idoso passe períodos em casas de filhos diferentes. Visitas, nesse caso, bastam. Quanto mais estabilidade ele sentir, mais qualidade de vida terá.

4. Pesquise sobre a qualidade de vida dos pais idosos

O que você pode fazer para melhorar o dia a dia de seus pais? Reserve um momento da semana a fim de pesquisar e pensar sobre isso. Você provavelmente conviveu com eles por boa parte da vida e conhece bem a personalidades de cada um. Assim, ainda que eles não se comuniquem mais como antes ou tenham a mesma vitalidade, certamente será possível encontrar meios para melhorar suas rotinas.

Por isso, de acordo com as necessidades que o idoso apresentar, verifique o que estaria ao seu alcance. Trocar móveis de lugar, adaptar acessos, adquirir equipamentos, complementar a alimentação ou oferecer mais conforto são só alguns dos exemplos a serem considerados. Converse com um médico ou fisioterapeuta, pois eles vão ajudar você a encontrar ótimas soluções.

5. Faça com que seus pais se sintam úteis

Envelhecer não significa deixar as atividades cotidianas de lado. Quando isso acontece, o idoso pode se sentir desanimado e triste. Portanto, identifique quais tarefas seus pais podem executar sozinhos ou com o mínimo de ajuda, para que se mantenham ativos e se sintam úteis. Esse é um caminho oposto ao da depressão e evidencia que eles ainda são capazes de realizar muitas coisas.

Sentir que ainda tem um papel relevante dentro da família e na sociedade garante a qualidade de vida do idoso. Assim, valorize sua sabedoria, sua experiência de vida e suas habilidades. Certamente isso vai fazer bastante diferença.

6. Cuide da audição dos idosos

Com o passar do tempo, é comum que alguns sentidos, como a visão e a audição, deixem de funcionar tão bem. No entanto, entre todos eles, os sintomas da perda de audição são os mais difíceis de notar. Em geral, idosos que não ouvem bem costumam se isolar, ficar deprimidos e apresentar um declínio cognitivo.

Em muitos casos, isso se manifesta como uma dificuldade de compreender a fala das pessoas próximas ou no hábito de ouvir a televisão no último volume. Se você notar algo do tipo, procure um médico, pois existem muitos aparelhos que podem melhorar a qualidade de vida do idoso com dificuldades auditivas.

7. Garanta a autonomia dos seus pais

Por maiores que sejam as dificuldades motoras ou cognitivas dos seus pais, é essencial que eles mantenham a maior autonomia possível. Pode ser automático tentar ajudá-los a fazer tudo, como sair do carro, caminhar com mais firmeza ou até mesmo amarrar os cadarços. Entretanto, é preciso aprender a ter paciência e respeitar o tempo de cada um.

Você pode até oferecer ajuda delicadamente caso estejam com muita dificuldade, mas não aja como se não conseguissem fazer as coisas sozinhos. Procure esperar que solicitem auxílio. Muita gente gosta de sentir que ainda consegue realizar tarefas simples por conta própria, pois isso aumenta a confiança e autoestima.

Esses são apenas alguns elementos a serem colocados em prática para assegurar a qualidade de vida do idosoRespeite suas limitações, seja paciente e procure garantir seu conforto. Promova a prática de atividades físicas, o convívio social e atividades que façam com que ele se sinta útil. Não se esqueça ainda de estimular o convívio com os filhos e netos: esse é o momento de retribuir tudo o que fizeram de bom durante a vida!

Este post esclareceu suas dúvidas sobre a qualidade de vida dos idosos? Compartilhe-o agora mesmo nas redes sociais e ajude seus contatos a cuidarem melhor dos pais.

Você pode gostar
Você sabe qual a relação entre perda auditiva e analgésicos?
Evite tratar os idosos como crianças
Saiba por que você não deve tratar idosos como crianças

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This