Sobre a audição

Perda auditiva neurossensorial: entenda o que é

A perda auditiva neurosensorial ocorre quando o ouvido interno, também chamado de cóclea, apresenta problemas devido ao excesso de ruídos ou à intensa exposição a barulhos muito altos, idade ou enfermidades.

As vias nervosas que fazem ligação com o cérebro também podem ser atingidas, o que agrava ainda mais o caso. Na terceira idade, esse é o tipo mais comum de surdez, conhecida como presbiacusia.

O indivíduo com essa forma de perda auditiva não consegue ouvir muito bem os sons mais fracos. Os sons mais altos, por sua vez, não são ouvidos de forma clara ou são abafados.

Reconhece essas características? Então se informe mais sobre o assunto neste artigo!

Quais são as causas da perda auditiva neurossensorial?

São diversas as causas desse problema. Existem as questões de hereditariedade relacionadas às doenças da mãe no período pré-natal. Além disso, traumas físicos na região da cabeça e prematuridade são identificados com frequência como causas quando a enfermidade é diagnosticada.

Pessoas com doenças auriculares autoimunes e que já tiveram que lidar com infecções na região devem ficar atentas, assim como quem já teve meningite ou caxumba.

O processo natural de envelhecimento é também um dos motivos mais comuns para a manifestação da perda — idosos diabéticos e hipertensos estão mais facilmente sujeitos a ela.

Quais são os sintomas mais frequentes?

A dificuldade para escutar qualquer tipo de som é o primeiro sinal de que algo está errado. É preocupante também quando entender a fala torna-se complicado mesmo com o interlocutor próximo, tanto quanto a dificuldade em separar um som do outro.

Por vezes, esses problemas também acontecem por causa do acúmulo de cera no ouvido e basta uma limpeza para solucionar a questão. Contudo, somente um médico especialista poderá confirmar se é esse o caso e, por isso, não se deve tentar fazer esse procedimento por conta própria em casa.

Quando a questão não é hereditária, o ideal é prevenir o problema evitando o contato direto com sons muito altos e ambientes repletos de ruído. Se alguma infecção no ouvido aparecer precisa ser tratada o quanto antes para que também não evolua para algo mais grave.

Como funciona o tratamento para o problema?

O especialista a ser consultado é o otorrinolaringologista. Ele solicitará uma lista com todos os sintomas percebidos e há quanto tempo foram percebidos. O histórico médico é muito importante e se houver informações sólidas a respeito da gravidez da mãe, tanto melhor.

É provável que o médico peça alguns exames específicos, como a audiometria e a timpanometria. Com eles, será feita a medição da capacidade auditiva e a verificação dos motivos pelos quais a perda está se manifestando.

Normalmente, a perda consegue ser solucionada com o uso de aparelhos auditivos, de acordo com sua gravidade. Se ela for considerada como severa ou profunda, e não tiver benefício com aparelhos auditivos, poderá ser tratada com uma solução chamada implante coclear.

No caso da indicação do uso de aparelhos auditivos você pode procurar uma loja Audium mais perto de você!

Agora que você entende um pouco mais sobre perda auditiva neurossensorial, pode ter mais atenção a prováveis sintomas e orientar familiares e amigos a respeito do problema.

E se gostou das informações deste artigo, assine nossa newsletter! Você receberá outros conteúdos como este diretamente em seu e-mail e continuará cuidando bem da saúde auditiva.

Você pode gostar
Exames de Audição
Exames de Audição: Um pouco sobre a histórias desses testes
Perda auditiva pode mudar o comportamento e a personalidade
Perda auditiva pode mudar o comportamento e a personalidade: mito ou verdade? Descubra!

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This