Sobre a audição

Quais as diferenças entre tons agudos, médios e graves na nossa audição?

Você sabia que a audição não se dá por meio dos ouvidos? Pois é, na verdade, o cérebro processa aquilo que a pessoa escuta, ouvindo e reconhecendo os sons. Existem elementos muito importantes no que se refere à composição do som, como o timbre, a intensidade e a altura.

Os tons agudos, médios e graves estão ligados à altura — uma das qualidades fisiológicas do som — e, obviamente, apresentam aspectos diferentes. É importante conhecer esses tons e entender como impactam a audição.

Continue com a gente e veja quais são as diferenças entre os tons agudos, médios e graves, saiba como eles são percebidos pela nossa audição e como essa percepção pode variar. Boa leitura!

Quais as diferenças entre os tons agudos, médios e graves?

Hertz — cuja abreviatura é Hz — é a unidade utilizada para medir a frequência de ondas e vibrações. Os seres humanos conseguem captar sons entre 20 Hz (mais graves) e 20.000 Hz (mais agudos).

A altura de um som é o que determina se o tom é agudo, médio ou grave, e está relacionada à frequência da onda sonora, cuja vibração pode ocorrer mais lentamente ou mais rapidamente em certo período.

Tons agudos

Também chamados de tons altos, são aqueles que apresentam vibrações rápidas e cujos valores giram em torno de 1.100 Hz. O choro de bebê e o assobio são alguns exemplos.

Tons médios

São aqueles que se encontram entre os tons agudos e graves. Grande parte dos instrumentos musicais e das vozes se encontra nesse nível. Uma reunião de pessoas conversando é um exemplo.

Tons graves

Também chamados de tons baixos, são aqueles que apresentam vibrações lentas e cujos valores estão abaixo de 300 Hz. Tambor e rugido de leão são alguns exemplos.

Os tons agudos destacam-se e são mais percebidos, principalmente ao ouvir uma música ou ao conversar com alguém. A percepção dos tons nem sempre ocorre da mesma forma de uma pessoa para outra. Isso significa que um mesmo som pode ser assimilado de maneiras diferentes por pessoas diferentes.

Pode-se dizer que tons agudos são altos e tons graves são baixos. Mas lembre-se de que a altura é diferente da intensidade. Essa última está ligada ao volume do som e indica se é forte ou fraco.

De que forma esses tons são percebidos pela audição?

A altura tem a ver com o modo como a frequência dos sons é percebida pelo ouvido. Assim, frequências mais baixas são percebidas como tons graves e frequências mais altas são percebidas como tons agudos.

De modo geral, a voz de um homem apresenta tons graves, e a de uma mulher, tons agudos. Isso significa que a voz masculina conta com uma frequência mais curta que a voz feminina.

Por fim, algumas pessoas apresentam deficiência auditiva nas altas frequências e não conseguem ouvir tons agudos com clareza. Os principais sintomas desse problema são dificuldade em compreender conversas nos ambientes onde há muitos ruídos e em ouvir vozes de crianças e mulheres. Nesses casos, então, é possível identificar essa deficiência por meio de testes auditivos e o tratamento geralmente se dá pelo uso de aparelhos auditivos.

Este conteúdo foi útil para você? Então, curta a nossa página no Facebook e confira, em primeira mão, outros materiais como este!

Você pode gostar
Perda auditiva neurossensorial: entenda o que é
Sensibilidade ao som
Sensibilidade ao som: 5 coisas que você precisa saber sobre Hiperacusia

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This