Dicas

Saiba por que você não deve tratar idosos como crianças

Evite tratar os idosos como crianças

Apesar da temática ser bem diferente de “aparelhos auditivos” … esse é um assunto de grande importância para nosso leitor…

Os cuidados com idosos se assemelham aos tratos com as crianças?
Não mesmo! Lidar com a velhice de forma infantilizada é um erro que pode atrapalhar e até favorecer o declínio cognitivo.

Tratar o idoso como criança é uma forma de violência. Afinal de contas, ele já passou pela infância, adolescência, juventude e agora está na maturidade. A fase da vida é diferente, por isso, a abordagem precisa ser adequada.

Veja, a seguir, quais os prejuízos na qualidade de vida do idoso ao receber um tratamento infantilizado. Boa leitura!

Contribui para o declínio cognitivo

Com o avanço da idade, as dificuldades são evidentes e fugir delas não é uma opção. O raciocínio fica mais lento, a memória não é mais a mesma e as habilidades de realizar alguns movimentos podem ficar comprometidas.

Porém, a perda das capacidades não anula todo o histórico de vida dos idosos. Muitos deles ainda têm pleno controle das funções e ficam irritados quando ouvem palavras no diminutivo ou alteração de voz, como é feito com os bebês.

Ao lidar com uma criança, os pais precisam dar bronca, impor limites, dizer não e ensinar tudo sobre a vida. O idoso já tem suas próprias experiências e histórias, por isso, não precisa desse retrocesso. Se você trata seu pai dessa forma, ele se sentirá incapaz e pode perder a habilidade de raciocínio e comprometer as funções cognitivas.

Prejudica o desenvolvimento do idoso

A infantilização do idoso é uma forma de promover a dependência. Porém, a autonomia é essencial para que ele mantenha as capacidades físicas e mentais. Essa liberdade impede que seu pai se sinta inútil ou entediado.

Se os cuidados com idosos forem iguais aos das crianças, eles podem se sentir desestimulados e não praticar as atividades básicas do dia a dia — o que pode prejudicar muito o seu desenvolvimento.

Afeta a autoestima e a autoconfiança

Ao impedir o idoso de fazer as tarefas que ainda consegue, a confiança dele pode ficar abalada. Não há necessidade de dar comida na boca, se ele é capaz de fazer a atividade sozinho, por exemplo.

O excesso de cuidado e carinho pode ser mal interpretado pela pessoa na terceira idade. Mesmo quando o idoso perde parte das suas capacidades cognitivas, é importante tratá-lo como o adulto que é.

Atrapalha a socialização

O idoso pode ficar constrangido com a forma de tratamento e, em razão disso, evitar o relacionamento com as pessoas. Além de ser consequência da infantilização, o isolamento social também pode ser sinal de uma perda auditiva.

A perda auditiva dificulta a comunicação e gera frustração ao idoso. A disfunção, aliada ao tratamento similar ao dado às crianças, pode favorecer o aparecimento de doenças mentais, como a depressão e até a demência.

O ideal é ficar atento a qualquer alteração de comportamento e procurar um médico especialista. Muitas vezes, o uso do aparelho auditivo pode fazer o idoso voltar a interagir com a família.

Os cuidados com idosos precisam ser adequados à faixa etária deles. O tratamento infantilizado pode afetar as capacidades cognitivas e comprometer a qualidade de vida do cidadão na terceira idade. Ele precisa de carinho sim, mas sem desrespeitar a individualidade nem ignorar sua trajetória de vida. Acredite: os idosos têm ótimas histórias para contar, dê ouvidos a eles.

Gostou das informações? Compartilhe o conteúdo nas suas redes sociais e divida este conhecimento com os seus amigos e familiares!

Para dúvidas sobre audição – Estamos a disposição no 0800 011 1000www.audiumbrasil.com.br/agende

Você pode gostar
Surdez e o isolamento social: qual é a relação?
Aparelho auditivo para idosos: como convencê-los a usar? Conheça nossas dicas!

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This